“Semana do Cérebro” leva ciência para a Indústria do Conhecimento do SESI

14/03/2018   15h58

 

O aluno Samuel César, que está no 9º ano na Escola Municipal Santos Reis, teve, pela primeira vez, contato com os óculos de realidade virtual. Antes, percorreu oficinas dos sentidos, de neuroanatomia, de ondas do pensamento e de neuroengenharia. Ainda observou, atentamente, banners que alertam sobre as implicações do uso de drogas. No percurso, conversou com alunos e professores dos Institutos do Cérebro (ICe) e Internacional de Neurociência.

 

Essas visitas e experiências foram na Indústria do Conhecimento do SESI-RN, das Rocas, nesta quarta-feira, durante a programação que integra a 7ª Semana do Cérebro, realizada pelos dois institutos.

 

A mesma experiência de Samuel tiveram os demais alunos da 3ª a 9ª séries do colégio Santos Reis, da Escola São José, além dos atendidos pelo Centro de Convivência em Saúde Mental. Com esse público percorrendo os estandes, mesas e banners, a programação foi intensa, ao longo do dia, na Indústria do Conhecimento.

 

 

Os alunos e professores das duas escolas aproveitaram para dialogar com os pesquisadores sobre uma das áreas que mais despertam curiosidade entre os jovens, principalmente quando motivados por equipamentos de realidade virtual. “Tudo isso é muito legal, foi bom ter vindo, dá mais vontade de estudar”, disse Samuel César.

 

A diretora do Instituto do Cérebro, Kerstin Schmidt, afirmou que este tipo de programação é importante tanto para os pesquisados, quanto para os alunos do ensino fundamental. Para ela, os pós-graduando e professores não só difundem o conhecimento, como também têm contato com as curiosidades e interesses dos jovens.

 

 

Professora e pesquisadora do Instituto Internacional de Neurociência, que integra o Instituto Santos Dumont, Manuela Sales, destacou que levar este conhecimento de forma atrativa para os jovens é uma forma de retribuir à sociedade os investimentos nas entidades dedicadas as Ciências. Ela disse também que os jovens que estiveram na exposição ficam mais motivados aos estudos e alguns ficarão interessados na Neurociência.

 

Entre as oficinas e apresentações que estavam disponíveis na Indústria do Conhecimento, nesta quarta-feira, estavam as que abordam os sentidos, as consequências das drogas, a neuroanatomia, as ondas do pensamento, a matemática da natureza e os sistemas biológicos.

 

Ao longo do dia, os visitantes também participaram da imersão em realidade virtual e conheceram projetos de neuroengenharia e eletroencefalografia (EEG). Todas essas atividades foram programadas para mostrar que a Neurociência está presente em no dia a dia e pode ser acessível para os que tiveram interesse.

 

 

A Indústria do Conhecimento Biblioteca Virgílio Urbano de Araújo foi incluída na programação a Semana do Cérebro pelo segundo ano consecutivo. “É muito positivo sediar um evento desta relevância, proporcionando acesso às várias pesquisas e conhecimento aos participantes. Também favorece visibilidade à Indústria do Conhecimento pela população de Natal”, disse Jeana Magalhães, gestora do espaço.

 

Na abertura, que teve a participação da secretária municipal de Educação. Justina Iva, ainda houve apresentação da banda de música da escola Municipal Ferreira Itajubá.